sexta-feira, 20 de maio de 2016

Araras x Secretário

Travessia que mistura estrada asfaltada, de terra e trilha na mata:

     Nessa segunda, fui fazer essa travessia que eu recomendo muito, Araras a Secretário. São aproximadamente 5 horas e meia de caminhada que passa primeiramente por uma estrada asfaltada, logo depois entra na trilha pela mata, sobe montanha e por fim entra-se em estrada de terra, ou seja, é uma caminhada completa! 
Foto: Roberto Bessa
     Para iniciar a caminhada, você tem que pegar o ônibus até Araras no Terminal Corrêas e descer na igreja no centrinho de Araras. Suba a rua à direita (Estrada das Perobas), seguindo sempre a principal, no final dela o asfalto dá lugar a estradinha de paralelepípedo, no fim dessa rua está o início da trilha que sobe a montanha praticamente segundo as torres de energia. A trilha é bem marcada, e nesse dia parece que estiveram roçando por ali, pelo menos um certo trecho.
     Após subir um pouquinho, tem uma pedra quadrada que se por acaso você não tiver levado água, pode abastecer o cantil ali, mas após abastecer, deixe como estava ok! A trilha tem alguns pontos de lajes de pedra, pequenas, mas se chover no dia anterior, podem estar bem escorregadias. Depois de cruzar as 2 primeiras torres, o caminho começou a ficar mais fechado porque não roçaram dali pra frente. Desde a rua, se você olhar para cima, vê duas torres entre montanhas, a trilha passa por ali, e onde estão essas torres, é o ponto mais alto da caminhada e um excelente ponto de parada se estiver limpo, caso contrário você pode roçar com um facão ou descer mais um pouco até onde parei para lanchar (vide vídeo).
Entrada da Trilha - Foto: Roberto Bessa
     Depois de passar esse ponto alto, sua visão já muda e após descer um pouco, à sua esquerda vai aparecer bem imponente a Maria Comprida, onde fiz a parada do lanche, deu para apreciar muito bem ela. Continue sempre descendo, e deste ponto, a trilha já voltou a ficar bem roçada novamente, não tem errada, basta seguir a principal. Conforme você vai descendo, aparece uma casa a esquerda, e após passar as duas últimas torres que a trilha atravessa, você vai vendo cada vez mais perto a casa. A trilha faz um curva forte para direita, nesta curva você vê de frente essa casa (já quase na mesma altura), uma pedra à esquerda, muita atenção agora, pois ao seguir a trilha, aparece um portão e uma pequena trilha à direita, o caminho certo é por essa trilha, mas se seguir pelo portão, você sai dentro do terreno da tal casa, o caseiro é gente boa e deixa passar, mas tem um baita cachorro e não muito amigável que pode não gostar se ele estiver solto e não ter ninguém em casa.
Seguir a estrada das Perobas
 Foto: Roberto Bessa
     Desse ponto em diante, você vai seguir por uma super agradável estrada de terra, bem mais a frente, mais ou menos 40 minutos de caminhada ou um pouco mais, você vai chegar à cachoeira da Rocinha, lugar bonito e você pode aproveitar pra se refrescar. Da cachoeira até o ponto do ônibus levei aproximadamente uma hora, se você andar bem, pode levar um pouco menos ok. No mais, desejo a você uma ótima caminhada, você vai gostar, e lembre-se de levar roupa de banho e desfrutar da cachoeira! Boa caminhada!


Placa indicativa, seguir a Rua A - Foto: Roberto Bessa

Siga as torres de energia - Foto: Roberto Bessa

Começo da trilha ao lado do último portão da rua
 Foto: Roberto Bessa

Ponto de abastecimento
Foto: Roberto Bessa

Torres que marcam o caminho de subida
 Foto: Roberto Bessa

Parte mais alta da caminhada - Foto: Roberto Bessa

Maria Comprida - Foto: Roberto Bessa

Trilha pela mata - Foto: Roberto Bessa

Casa com a Maria Comprida ao fundo - Foto: Roberto Bessa

Ponte rústica - Foto: Roberto Bessa

 Foto: Roberto Bessa

 Foto: Roberto Bessa

Ruazinha de descida - Foto: Roberto Bessa

 Foto: Roberto Bessa

Condomínio sítio Pedra Roxa - Foto: Roberto Bessa

Adorei essa placa, vale para os apressadinhos que não vêem nada
 Foto: Roberto Bessa

Cachoeira da Rocinha -  Foto: Roberto Bessa

Estrada da Rocinha - Foto: Roberto Bessa

 Foto: Roberto Bessa

 Foto: Roberto Bessa

Ruínas - Foto: Roberto Bessa

 Foto: Roberto Bessa

Chegada - Foto: Roberto Bessa

Fim da Caminhada - Foto: Roberto Bessa


Visual de descida para o vale de Secretário
 Foto: Roberto Bessa


Dicas de equipamentos e mochila:

Mochila Crampon 38 - Foto: Roberto Bessa
     Semana passada coloquei uma foto de tudo que levei para aquela caminhada, nesta levei a mesma coisa, porém recebi alguns e-mails me perguntando porque eu levo um pano de chão. Bom, a resposta é simples, eu sempre uso ele no pescoço, por que me protege da alça da máquina e quando passa algum carro em estrada de terra e levanta poeira, aproveito ele pra usar de máscara ok!
     Vou listar novamente o que eu levei, fui com uma mochila pequena, pois não sabia se estava ou não muito fechada a mata, fui com minha Crampon 38 da Trilhas e Rumos, mas a minha indicação seria a Crampon 30 (ou similar), pois ela é mais estreita e vai facilitar muito na hora de entrar na mata mais fechada ok. Mas por que você usa a 38? Uso por causa do equipamento de fotografia, mas qualquer dia, vou com uma câmera menor e mostro para vocês ok! Lista de equipamentos:
Arranha gato - Foto: Roberto Bessa

* Guarda-chuva
* Toalha
* Lancheira
* 2 garrafas d'água
* Porta óculos
* Lanterna
* Isqueiro
* Apito
* Kit higiene pessoal
* Guia de trilha
* Câmera, bolsa e kit 50 mm
* Câmera compacta
* Documentos

Vídeo: